Após a conferência na Knesset com a Comissão para a Reconexão de Descendentes de Comunidades Judaicas Espanholas e Portuguesas em 13 de outubro de 2015, o ISAS e o WJC-Israel patrocinaram a conferência naquela tarde, “A Diáspora dos Anussim na Atualidade: A Esperança e o Desafio Judaicos”, no Instituto Ben-Tzvi em Jerusalém.
O professor Abraham Gross da Universidade Ben Gurion, representando o ISAS, foi o moderador da conferência. Ficamos honrados com a presença de dois palestrantes principais. Mordechai Arbell falou sobre seus vários anos de experiência com os anussim durante a época em que atuou como embaixador israelense na América do Sul e Caribe, durante a qual realizou a pesquisa de seu trabalho acadêmico que inclui seus livros “Os Judeus Portugueses da Jamaica” e “A Nação Judaica do Caribe”. Sua fala refletiu sua rica experiência e forneceu muito material para reflexão. Já Genie Milgrom relatou sua história pessoal de retorno e o contexto em que produziu seu livro, “Minhas 15 Avós”. Genie não deixou pedra sobre pedra (e também nenhuma página fechada) durante sua pesquisa nos arquivos da Espanha e de Portugal. Hoje ela é presidente da Sociedade para Estudos Cripto-Judaicos, e uma inspiração para todos nós.
O programa também incluiu trecho do documentário em produção de Joe Lovett, “Crianças da Inquisição”, o qual acompanhou a história de diversos anussim. Shmuel Vilozhni, conhecido ator israelense, também apresentou um trecho dinâmico de “Judeu no Escuro”, baseado na história de Andres Gonzalez, cujos familiares foram perseguidos pela Inquisição e queimados na estaca como anussim em 1485 na Espanha. Foi um dia verdadeiramente completo e inspirador.